Como identificar a cultura organizacional antes de entrar em uma empresa

Existe uma diferença entre a maneira com que a empresa estabelece seus valores organizacionais e o modo como isso é realmente colocado em prática. Apesar de ser uma análise precoce, é possível identificar os traços da cultura organizacional de uma empresa ainda durante o processo seletivo, e assim entender se existe um match entre o candidato e a empresa.

A Eureca, empresa especializada em conectar jovens e organizações por meio de processos seletivos, projetos de inovação e programas de desenvolvimento, e a Tribo (consultoria em transformação cultural) dão dicas para entender mais sobre a cultura da empresa antes de entrar para o time. Confira como através destes seis passos:

#1 Invista no autoconhecimento
Para Douglas Souza, CEO da Eureca, inicialmente é fundamental ter um nível suficiente de autoconhecimento para saber qual o setor e tipo de atividade com que o profissional gostaria de trabalhar. “A cultura, nada mais é do que um conjunto de comportamentos manifestados na prática. E se eu consigo entender com que tipo de comportamento me sinto confortável, ao fazer uma comparação com a cultura da companhia, consigo ter um bom exemplo de como isso seria na prática.”

#2 Vasculhe sites de avaliação
A segunda dica para identificar a cultura organizacional de uma companhia é de Ryoichi Penna, CEO da Tribo: investigue plataformas de avaliação como Glassdoor e LoveMondays. “São super ricos porque as pessoas conseguem ver o que os funcionários falam da empresa de maneira anônima.”

#3 Preste atenção nas redes sociais
“O engajamento das pessoas com a empresa com a qual elas trabalham nas mídias sociais acaba mostrando muito sobre o quão orgulhosas elas se sentem em pertencer àquela empresa”, acrescenta Ryoichi. Por isso, vale a pena dar uma checada: os colaboradores da companhia curtem suas páginas nas redes sociais?

#4 Questione tendo em vista o engajamento emocional e as relações
Atualmente, é bem aceito e até encorajado que os candidatos façam perguntas ao final da entrevista. Nesse momento, o profissional pode aproveitar para questões que ajudem-no a entender o nível de engajamento emocional do entrevistador com a companhia – como "O que mais te move em estar aqui?" ou "Como que o propósito desta empresa se conecta ao seu propósito de vida?"

Além disso, se o foco é entender algum aspecto em específico, o CEO da Tribo recomenda perguntas mais direcionadas, um tanto “capciosas”. E também prestar atenção à reação e linguagem corporal de quem responde. 

Para mais detalhes, Ryoichi indica conversar com alguém que atua em posições mais vulneráveis, como membros da equipe de limpeza ou recepcionistas. Isso pode ajudar e ter mais insights de como os funcionários são tratados de ponta a ponta.

#5 Converse com pares e faça perguntas situacionais
“Eu tentaria acessar pessoas de diferentes níveis de responsabilidade e autonomia daquela empresa, mas falar bastante com as pessoas que seriam meus pares”, destaca Douglas. Entre outras coisas, a conversa com os pares ajuda a entender qual é o nível de valorização do funcionário pela empresa e também as possibilidades de crescimento.

O CEO da Eureca recomenda fazer perguntas situacionais para extrair informações sobre o comportamento das pessoas no local. Como a cultura é a manifestação do comportamento coletivo, isso pode ajudar a compreender melhor a companhia. Alguns exemplos de perguntas são: “como as pessoas delegam atividade pra você?” e “Como são compartilhadas as tarefas na sua área?”.

#6 Tente reparar no comportamento dos profissionais
Aproveite as oportunidades de conhecer pessoalmente a empresa (como na fase de entrevista, por exemplo) para prestar atenção às atitudes e relação das pessoas que já trabalham lá. “Sabemos se a empresa tem uma cultura de mais ou menos acolhimento, por exemplo, se as pessoas, quando se cruzam pelo corredor, se dão oi ou não”, pontua Ryoichi.

Fonte: Época Negócios