A importância do profissional contábil para o funcionamento das empresas brasileiras

O presente estudo ressalta sobre a grande importância do profissional contábil dentro das empresas brasileiras. Em um mundo de negócios caracterizado pelas inovações tecnológicas, pela forte competitividade, os profissionais contábeis em meio a tantas mudanças e inovações, estão obrigados a se atualizarem de forma rapidamente, desta maneira o conhecimento se tornou essencial para este profissional.

O profissional contábil deixou de ser um simples guarda livros, passando a ser essencial dentro das empresas. Há pouco tempo atrás, o contador fazia os registros de forma escrita não evidenciando a tecnologia.

Para Coelho (2000, pp.27 e 32)

Conforme Coelho (2000, p. 27), em 1870, reconhece-se oficialmente a associação dos Guarda-Livros da Corte, porém sem nenhum órgão regulador à ser seguido pelos profissionais, e sim apenas algumas leis com o intuito de melhorar e ampliar a organização da profissão contábil. Em 1931, o decreto Nº 20.158, instituiu o Curso Técnico de Contabilidade para formar guarda livros e Peritos Contadores. Em 1943, os cursos técnicos referidos foram transformados na categoria de cursos médios, garantido ao formando o título de Técnico de Contabilidade. Somente em 1945, foi instituído o Curso de Ciências Contábeis e Atuarias pela Lei nº 7988.

Conforme COELHO (2000, p. 32), no Brasil, o desenvolvimento da profissão contábil só passou a ter razoável evolução a partir de 1946, com a criação do Conselho Federal de Contabilidade.

O mercado a cada dia que passa está mais exigente, buscando profissionais bem preparados, ágeis, capacitados, atualizados, capazes de registrar corretamente a informação certa para a tomada de decisões. Para esse profissional conseguir manter-se nesse mercado é necessário estar cada vez mais qualificado, sempre em busca de novos aperfeiçoamentos, mas não só na área de sua atuação, como também em todas as áreas que estão relacionadas com a escolha profissional.   

O profissional deve estar atento às constantes mudanças, procurando sempre novas informações, não se conformar tão somente com os conhecimentos adquiridos em sala de aula, e sim, deve pensar na educação como um processo contínuo e permanente, visando estar preparado para quando surgirem às oportunidades de realização profissional.

Para Marion (2003, pp.33-34): 

O contador deve estar no centro e na liderança deste processo, pois, do contrário, seu lugar vai ser ocupado por outro profissional. Deve saber comunicar-se com as outras áreas da empresa. Para tanto, não pode ficar com os conhecimentos restritos aos temas contábeis e fiscais. O contador deve também ter formação cultural acima da média, inteirando-se do que acontece ao seu redor, na sua comunidade, no seu Estado, no seu país e no mundo. Deve ter um comportamento ético-profissional inquestionável, participar de eventos destinados à sua permanente atualização profissional e estar consciente de sua responsabilidade social e profissional.

Fonte: Jornal Contábil